Pare de reclamar e valorize o que possui

pe-na-estrada

 

“Certa vez, um homem encontrou um rapaz muito triste sentado à beira da estrada. Com pena dele, perguntou:

– Por que tanta tristeza, meu jovem?
– Ah, senhor, não existe nada interessante na minha vida. Tenho dinheiro suficiente para não precisar trabalhar e estava viajando para ver se descobria alguma coisa curiosa no mundo. Entretanto, todas as pessoas que encontrei nada têm de novo para me dizer e só conseguem aumentar o meu tédio.

Na mesma hora, o homem agarrou a mala do rapaz e saiu correndo pela estrada. Quando se distanciou bastante, colocou de novo a mala no meio da estrada por onde o rapaz iria passar e escondeu-se atrás de uma árvore. Depois de meia hora, o rapaz apareceu, sentindo-se mais miserável que nunca, por causa do ladrão que encontrara. Assim que viu a mala, correu até ela. Ao perceber que seu conteúdo estava intacto, olhou para o céu e, cheio de alegria, agradeceu a Deus por tanta felicidade. Atrás da árvore, observando a cena, o homem refletiu: “Certas pessoas só sentem o sabor da felicidade quando a perdem”.

Nas empresas, vejo sempre pessoas habituadas a reclamar, a reclamar, sem nunca demonstrar estar satisfeitas. Essas pessoas, infelizmente, não sabem valorizar o que têm, como o seu emprego, o salário recebido em dia e a oportunidade de crescimento profissional. O mais certo é parar de reclamar e valorizar o que se possui.”

 

(Texto extraído do Livro “O que podemos aprender com os Gansos” de Alexandre Rangel)

O poder que ofusca

O-mal-da-violência-verbal-Sandra-Rosenfeld-1

 

“Um jovem muito rico foi ter com um sábio e lhe pediu um conselho para orientar sua vida. O velho experiente conduziu o rapaz até uma janela e lhe perguntou:

– O que você vê através dos vidros?

– Vejo homens que vão e vêm e um cego pedindo esmolas na rua.

Então, o sábio mostrou um grande espelho e novamente falou:

– Olhe agora o espelho e me diga o que você vê.

– Vejo a mim mesmo – disse o rapaz.

E o sábio explicou:

– Repare que a janela e o espelho são ambos feitos da mesma matéria-prima, que é o vidro. No entanto, no espelho há uma fina camada de prata colada sob o vidro e isso faz com que, ao olhar para ele, você veja apenas sua imagem.

Em certas ocasiões, algo semelhante ocorre nas empresas. Quando está na condição de simples funcionário, o indivíduo se porta como o vidro simples: enxerga os problemas dos outros e até sente compaixão por eles. Mas quando está coberto pela prata, rico de poder, por exercer um cargo de chefia, esse mesmo indivíduo só enxerga a si mesmo. Essa é uma armadilha fácil de se cair. Para evita-la, procure sempre lembrar desses dois tipos de vidro. Cuidado para que o revestimento de prata, ou seja, o poder do cargo, não impeça de conhecer melhor os seus funcionários e de ver com transparência a realidade da sua empresa ou do seu setor.”

 

(Texto extraído do Livro “O que podemos aprender com os Gansos”, de Alexandre Rangel)

Aproveite o lado bom das pessoas

images (1)

Um gerente conversava com um jovem funcionário que reclamava muito dos colegas e por isso não tinha amigos na empresa. O funcionário dizia:

– Não suporto o Francisco, ele é convencido e orgulhoso.
– Mas ele é alegre e participativo – lembrou o gerente.
– E a Márcia, então? Parece que tem o rei na barriga. Está certo que ela ajuda os colegas, mas é uma chata. O Sebastião vive se exibindo só porque conhece mais as rotinas da empresa.
– Lembre-se de que ele é um curinga e que já quebrou muito galho aqui.  

Vendo que o funcionário só enxergava mesmo o lado negativo das pessoas, o gerente pediu que o rapaz o acompanhasse. Pegou um pouco de açúcar na cozinha e foram até o quintal, onde recolheu um pouco da areia do chão. Misturou o açúcar cristal com a areia e colocou perto de um formigueiro. Depois de alguns minutos, uma formiga descobriu o açúcar e avisou as demais. Em pouco tempo, fizeram uma fileira e o funcionário, surpreso, percebeu que as formigas carregavam apenas os grãos de açúcar, desprezando a areia.

– Todas as pessoas são como esse montinho de areia misturado com açúcar – disse o gerente. – Sejamos sábios como as formigas. Vamos aproveitar o lado bom das pessoas aqui da empresa.

 

(Texto extraído do livro “O que podemos aprender com os Gansos” de Alexandre Rangel)

Valorização das pessoas no ambienta de trabalho

professor_e_aluno

 

“Certa vez um professor entregou um questionário para os alunos responderem. Todos responderam rapidamente até chegarem a última questão, que era: qual o nome da mulher que faz a limpeza da escola? Os alunos acharam que era uma piada. Já tinham visto a mulher várias vezes. Ela era alta, cabelo escuro, lá pelos cinquenta anos, mas ninguém sabia o nome dela. Um aluno, ao entregar o questionário deixando a questão sem resposta, perguntou se a última questão iria influenciar na nota.

– É claro! – respondeu o professor. – Na sua carreira você encontrará muitas pessoas. Todas têm seu grau de importância. Elas merecem sua atenção. Mesmo que com um simples “bom dia, como vai?”.

O aluno nunca mais esqueceu essa lição e acabou aprendendo não só o nome da faxineira, mais de todos os outros funcionários da escola.”

 

(Texto extraído do livro “O que podemos aprender com os Gansos” de Alexandre Rangel)

Você nunca deve desistir de suas ideias

tumblr_m46meofSnX1rw5nlko1_500

 

“Conta a lenda que um príncipe ia ser coroado imperador, mas, de acordo com a lei, ele deveria se casar. Sabendo disso, o rapaz lançou uma disputa entre todas as moças do reino. Anunciou o seguinte desafio para o grupo de jovens que havia se apresentado:

– Darei, para cada uma de vocês, uma semente. Aquela que, dentro de seis meses, trouxer a mais bela flor, será minha esposa.

O tempo passou e uma das jovens, a mais humilde delas, apesar de não ter tanta habilidade nas artes da jardinagem, cuidava da sua sementinha com muita paciência e ternura, pois sabia que se a beleza da flor surgisse da mesma extensão de seu amor, ela não precisaria ficar preocupada com o resultado.

Passaram-se três meses e nada germinou. Passaram-se os seis meses e nada cultivado. A flor não brotou. Porém, consciente do seu esforço e dedicação, compareceu ao palácio na data e hora combinadas. Lá estava a jovem, com seu vaso de flores vazio, junto a todas as outras pretendentes, cada qual com uma flor mais bela que a outra.

O príncipe observou cada uma das pretendentes com muito cuidado e atenção e anunciou que a jovem que trazia o vaso vazio era a escolhida. Era ela sua futura esposa. Ninguém compreendeu por que ele havia escolhido justamente aquela que nada havia cultivado! Então, calmamente, ele esclareceu.

– Esta foi a única que cultivou a flor que a tornou digna de se tornar uma Imperatriz, a flor da honestidade, pois todas as sementes que entreguei eram estéreis.

Você nunca deve desistir de suas ideias. Acredite nelas e trabalhe.”

(Texto extraído do Livro “O que podemos aprender com os Gansos” de Alexandre Rangel)

A catástrofe às vezes está apenas na sua cabeça

lonely-walker-in-the-forest_426-19322917

 

“Numa noite escura, um homem andava no meio de uma floresta, quando de repente caiu. A única coisa que conseguiu fazer foi segurar-se em um galho. Quando olhou para baixo, só viu escuridão. Começaram, então, os pensamentos catastróficos: “Eu vou cair nesse abismo e eu vou morrer… Esse galho não vai aguentar por muito tempo e eu vou me machucar todo…”

À medida que o tempo passava, o galho ia se desprendendo, e cada vez mais o homem se desesperava, com medo de cair e morrer. A claridade foi chegando com a manhã, e só então ele percebeu que estava com os pés a apenas trinta centímetro do chão e que todo seu medo e sofrimento tinham sido infundados.

Quantas vezes na empresa ou em nossa vida pessoal não deparamos com situações semelhantes, que nos deixam angustiados sem motivo? Às vezes, o simples telefonema de um cliente já nos enche de angústia. O chefe nos chama, e já imaginamos que vamos ser demitidos. Antecipamos nossas angústias com perigos imaginários, que simplesmente não existem. São apenas suposições. Sentimos esses medos quando não estamos seguros do valor do nosso trabalho. Por isso é importante enxergar mais claramente o que você fez em seu trabalho e o quanto ele atende às expectativas de quem o contratou, seja um cliente, seja seu chefe.

Não permita que frustrações desnecessárias o levem a sentimentos de incapacidade. Procure corrigir-se rapidamente se perceber que o valor do seu trabalho está sendo questionado. Lembre-se: o caminho mais curto para atingir a autoconfiança será sempre a verdade.”

 

(Texto extraído do livro “O que podemos aprender com os Gansos” de Alexandre Rangel)

 

Eleve o pensamento

14670767_fRPRE

 

“Veja como o pensamento mesquinho prejudicou a carreira de um gerente em uma empresa.

Quatro gerentes, todos do mesmo nível, se mudaram para um novo prédio da empresa. Três das novas salas tinham o mesmo tamanho e decoração. A quarta sala era menos e com decoração mais simples. O gerente a quem essa sala foi destinada se sentiu atingido, ferido em seu amor-próprio. Pensamentos negativos e ressentimentos começaram a fazê-lo sentir desajustado. Como resultado, passou a hostilizar os colegas. As coisas pioraram tanto que, três meses depois, a direção não teve outra saída senão despedir o gerente.

Um pensamento mesquinho sobre uma questão tão insignificante acabou destruindo uma carreira promissora! O gerente deixou de observar que a companhia se expandia depressa e que o espaço para os escritórios era uma questão vital. Não parou para pensar que o diretor que designou as salas nem sabia qual era a menor delas! Ninguém na organização, a não ser ele próprio, encarou sua sala como um índice de seu valor. Pensar mesquinhamente sobre coisas insignificantes, como ver seu nome em último lugar nos memorandos ou receber a quarta via deles, pode ferir você.

Pense com grandeza, e nenhuma dessas pessoas será capaz de impedir seu progresso.”

 

(Texto extraído do Livro “O que podemos aprender com os Gansos” de Alexandre Rangel)

Mergulhe Fundo

merg5

“Um dia, passeando na praia, o pai perguntou para o filho:

 

– Como está a água?

O garoto entrou com cuidado na água e respondeu:

– Está muito fria.

Ele pegou o garoto e o jogou com tudo dentro da água e voltou a perguntar:

– E agora, como está a água?

O filho respondeu:

– Está ótima.

O pai então disse:

– De agora em diante, mergulhe fundo naquilo que você quer realmente conhecer.

 

Com certeza essa foi uma lição importante para o garoto.


Se você quer se desenvolver na empresa, assumir novas responsabilidade, saia da superficialidade e mergulhe fundo para adquirir mais conhecimento do processo, da empresa em geral.

 

Participe de reuniões, se evolva em projetos, mergulhe ao máximo no que puder… Você vai ver como o trabalho será muito mais interessante.”

 

(Texto extraído do Livro “O que podemos aprender com os Gansos” de Alexandre Rangel)

O Caminho que se deve seguir

Young woman using laptop sat on tree trunk in fore

“Um sábio caminhava por um grande campo de trigo quando um menino se aproximou:

– O que devo fazer para saber que caminho devo seguir na vida?
O sábio olhou para o menino e perguntou:
– O que significa esse anel no seu dedo direito?
– É uma lembrança do meu avô. Ele me deu esse anel pouco antes de morrer.
– Empreste-me o anel um momento – disse o sábio.
O menino obedeceu e o sábio atirou o anel no meio do campo de trigo.
– E agora? – perguntou o menino. – Terei que parar tudo o que estava fazendo para procurar o anel! Ele é importante para mim!
– Quando você o encontrar – disse o sábio – lembra-se: você mesmo respondeu sua pergunta.

É assim que se distingue o verdadeiro caminho que se deve seguir: Ele é o mais importante que todo o resto.

Quando não valorizamos os caminhos que queremos seguir, ficamos andando sem rumo e culpamos as circunstâncias de atrapalharem a busca dos nossos objetivos. Uma empresa não pode caminhar sem ter objetivos claros a alcançar. Por isso é tão importante o planejamento estratégico. Onde a empresa está agora e aonde quer chegar no final do ano, por exemplo? A despeito de todas as incertezas políticas econômicas, a empresa precisa ter suas diretrizes bem planejadas. Lembra-se: você não consegue mudar a direção do vento, mais pode ajustar as velas do seu barco.”

(Texto extraído do Livro “O que podemos aprender com os Gansos” de Alexandre Rangel)

Seja respeitado por ser diferente

9137arvore1

“Um carpinteiro e seus auxiliares viajavam em busca de material para construções. Viram uma árvore gigantesca: cinco homens de mãos dadas não conseguiam abraça-la e seu topo era tão alto que quase tocava as nuvens.

– Não vamos perder nosso tempo com esta árvore – disse o mestre carpinteiro – Para cortá-la, demoraremos muito. Se quisermos fazer um barco, ele afundará, de tão pesado que é o seu tronco. Se resolvermos usá-la para à estrutura de um teto, as paredes terão que ser exageradamente resistentes.

O grupo seguiu adianta. Um dos aprendizes comentou:

– Uma árvore tão grande e não serve para nada!

– Você está enganado – disse o mestre carpinteiro. – Ela seguiu seu destino a sua maneira. Se fosse igual às outras, já a teríamos cortado. Mas, porque teve coragem de ser diferente, permanecerá viva e forte por muito tempo.

Devemos ter algo de grandioso que sempre posa nos diferenciar: um conhecimento mais profundo, uma habilidade específica, algo que as pessoas respeitem e que não possam demolir. Pense no que você é bom e no que pode se diferenciar dos outros, e invista nisso.”

(Texto extraído do Livro “O que podemos aprender com os Gansos” de Alexandre Rangel)