Por que é tão difícil esquecer alguém que já desistiu de nós?

Responder esta pergunta não é nada fácil. A maioria das pessoas já passaram por uma situação assim. Ter um relacionamento, sentir amor ou paixão e um dia tudo acabar, na maioria das vezes pelo outro e nós ficamos ali parados, com os corações despedaçados.

É uma dor tão grande que chega a ser física. Não tem remédio, não tem conversa, não tem nada mesmo naquele momento que possa dar jeito. Então todos nos dizem “dê tempo ao tempo” e apesar de ser uma verdade, porque somente o tempo irá suavizar e curar esta dor, a gente não quer ouvir isso, pelo contrário, desejamos alguém capaz de trazer a pessoa amada em três dias! E isso não é um exagero!

E ai vem a pergunta “por que é tão difícil esquecer alguém que já desistiu de nós?”. A dificuldade começa com o sentimento, falamos que amamos, mas a maioria das pessoas tem dependência emocional, falta do amor próprio, medo de ficar sozinha, enfim, o sentimento mesmo passa longe e por esse motivo torna-se mais difícil esquecer.

O amor, embora até hoje não tenha definição correta é um sentimento, o mais poderoso já sentido. Ele proporciona outros sentimentos, como se fosse um complexo de muitos outros. Além disso, existem vários tipos de amor. Amor entre pais e filhos, entre casais, entre amigos, por animais, pela natureza… O amor é sublime, paciente, tolerante, gentil, compreensivo, e por ai vai.

Outra dificuldade é a falta de amor próprio. É claro que por mais que todos saibam disso, muita gente não sabe se amar. Quando nos amamos, nos aceitamos, nos reconhecemos, gostamos da nossa companhia, do nosso jeito, das nossas imperfeições. Olhando para nós somos capazes de olhar o outro de forma mais assertiva. Caso isso não aconteça valorizamos demais o outro e esquecemos de nós. Muita gente agrada tanto a outra pessoa que se perde, não se reconhece mais, se torna cada dia uma pessoa diferente do seu eu. Um estranho dentro de si.

O medo de ficar só é outro problema, muita gente teme que sozinha não conseguirá chegar a felicidade. Temem o futuro, a velhice, a morte. Querem alguém para estar ao lado, para isso justifica ser muitas vezes maltratada, ignorada, menosprezada e até violentada. Todos precisamos de gente ao lado, somos seres que necessitam de socialização, mas isso não quer dizer que tenha de ser um relacionamento amoroso romântico.

Um dos maiores erros que todos já devemos ter cometido: insistir na pessoa que já desistiu de nós. Quem nunca? Pois é, mas é importantíssimo desistirmos, porque perdemos precioso tempo indo atrás, planejando mundos e fundos para reaproximar de alguém que já tomou uma decisão. Idas e vindas num relacionamento só torna o fim mais trágico, pra que se ferir mais, sofrer mais?

Quando compreendemos isso, o fim de um relacionamento se torna menos doloroso, porque temos o discernimento de perceber que aquela pessoa já não nos fazia feliz. É importante saber que a felicidade chega somente onde a felicidade já está, então não podemos insistir naquilo que está claramente fadado ao fracasso, principalmente no lado emocional.

Se um relacionamento está sendo bom para ambos, com amor, respeito, reciprocidade, companheirismo, atração, gentileza, carinho, vale a pena, caso contrário cada um deve seguir seu caminho sozinho, até que surja ou não uma outra pessoa que tenha as mesmas afinidades.

Eu já vi muitos casais felizes por ai, mas também já vi muita gente sozinha que também é muito feliz. Se por acaso seu relacionamento acabou e está difícil esquecer, reflita sobre os itens acima, com certeza em algum momento perceberá que manter o foco nessa pessoa está te deixando infeliz, sua energia está indo para o local errado. É importante enxergar isso.

E esperar… O tempo ainda é o melhor remédio, mas a gente pode dar uma forcinha, principalmente quando mantemos nosso pensamento naquilo que realmente importa. Ninguém que esteja fora de você detém a felicidade, ela existe sim, mas está no seu interior, está no amor que você tem por si mesma.

Deixe seu comentário. É muito importante para mim.