Hoje é o dia daquelas que lutam pelo que acreditam

No dia 08 de março comemora-se o dia internacional da mulher, acredito que a maioria saiba de onde originou esta data, que somente foi marcada por trágico acontecimento.

Nos dias atuais as mulheres usam este dia para homenagear, parabenizar, lutar contra a violência doméstica, contra a desigualdade, contra o preconceito, contra os abusos… Os anos passaram, mas as lutas continuam. E parecem não ter fim…

Nenhum dia pode ser comemorado sem antes ter uma história que lhe origina, então vamos lá… No dia 8 de março de 1857, trabalhadores de uma indústria têxtil de Nova Iorque fizerem greve por melhores condições de trabalho e igualdades de direitos trabalhistas para as mulheres. O movimento foi reprimido com violência pela polícia. Em 8 de março de 1908, trabalhadoras do comércio de agulhas de Nova Iorque, fizeram uma manifestação para lembrar o movimento de 1857 e exigir o voto feminino e fim do trabalho infantil. Este movimento também foi reprimido pela polícia. Podemos notar que nunca se consegue algo sem lutas, e as mulheres por anos, pioneiras já lutavam para que hoje pudéssemos desfrutar de suas conquistas!

No dia 25 de março de 1911, cerca de 145 trabalhadores (maioria mulheres, 130 no total) morreram queimados num incêndio numa fábrica de tecidos em Nova Iorque. As mortes ocorreram em função das precárias condições de segurança no local. Como reação, o fato trágico provocou várias mudanças nas leis trabalhistas e de segurança de trabalho, gerando melhores condições de trabalho!

No entanto, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o “Dia Internacional da Mulher”, em homenagem ao movimento pelos direitos das mulheres e como forma de obter apoio internacional para luta em favor do direito de voto para as mulheres. Mas, como nem tudo são flores, somente no ano de 1975, durante o Ano Internacional da Mulher, que a ONU (Organização das Nações Unidas) passou a celebrar o Dia Internacional da Mulher em 8 de março.

E desde lá, as lutas não tiveram fim. Por mais que hoje possamos comemorar muitas conquistas, ainda há muito a ser feito, no entanto, eu como psicóloga, e tantas outras colegas de profissão ou não, devem se unir para resgatar esta força que cada mulher tem de lutar pelo que acredita.

Mas esta luta não deve ser para ser mais homem, para se igualar com nosso sexo oposto, isso é uma grande perda de tempo. Mulher tem que ser mulher e tem que gostar de ser assim. Não precisa se vestir de homem, não precisa agir como homem, não precisa desenvolver competências e jeitos masculinos, isso não nos fará mais fortes e nem mais respeitadas.

Não podemos nos iludir, existem mulheres que são mais racionais que sentimentais, algumas não desejam ser mães, nem todas são sensíveis e nem todas gostam de chorar, mesmo que a maioria seja, e se for, tudo bem, ninguém é menos porque usa saia, porque chora, porque usa salto ou maquiagem. Ninguém tem que ser julgada pela roupa que veste, pela forma que deseja ser, pelas escolhas que tomar. O que não podemos é nos distanciarmos da nossa essência. Daquilo que somos, do que viemos e para onde queremos ir.

Ninguém tem o direito de nos limitar. Somos muito mais do que julgamos. Temos uma força inimaginável, um amor imensurável, uma resistência digna de aplausos. Com ou sem “jeitinho” conseguimos o que queremos. Lutamos apenas pelo que acreditamos. Somos guerreiras, numa luta injusta e milenar, por isso mesmo somos sobreviventes.

A gente tem que ter orgulho de ser mulher. De ter tido esse privilégio. De ter esta oportunidade de evoluir num corpo em constante transformação. Aguentamos as dores de parto, TPM, cólicas, menstruação… Vivemos num eterno dilema de querer mais e as vezes nem saber o que desejamos. Não nos conformamos com nosso cabelo, corpo e quantidade de roupas e sapatos, sempre achamos que possuímos menos… Somos um paradoxo difícil de decifrar e por isso mesmo tão encantador.

Que nesse dia possamos receber flores, chocolates, mimos, mas mais que isso, que possamos receber respeito, e que este seja duradouro. Mulheres, não se menosprezem, não se sintam menos, porque somos tudo aquilo que julgarmos capazes de ser. Ser mulher é um dom! Aproveite!

Deixe seu comentário. É muito importante para mim.