Eu posso ser feliz em dias de chuva

Por aqui o dia amanheceu chuvoso, prometendo aquela velha preguicinha matinal. Mas algumas pessoas sentem mais que isso. Existem pessoas que não gostam de tempo fechado, nublado ou chuvoso. Temem uma tempestade, talvez pelos raios, trovões, alagamentos…

Fato é que muita gente se deprime em dias assim, sem a presença do sol. Um dia ensolarado é maravilhoso, as cores são realçadas, os verdes ficam mais verdes, existe uma sensação contagiante de alegria no ar.

Então seria natural sentir o oposto desses sentimentos num dia de chuva? Não. O sol leva embora a umidade do ar, a água da terra, o frescor dos ventos, o verde das gramas… É mais que necessário chover. É necessário que a terra seja molhada, aliviada do calor.

Além disso, depois de muita chuva, a terra embebedada, o ar úmido e as rasas nuvens do céu nos permitem apreciar um grande espetáculo: o arco-íris! Com todas as cores indicado uma esperança de futuros dias felizes.

A gente precisa sentir os dias cinzas para valorizar os dias coloridos. A gente precisa passar pelas tempestades da vida para valorizar os dias de calmaria. A gente precisa aprender a ter paciência e sabedoria para apreciar o que vem depois dos dias difíceis.

Eu sei, muita gente sofre, e sofre por motivos diversos. Têm dias que a chuva caindo lá fora nos deixa com vontade de ficar ali na cama, deitados, preguiçosos e ao mesmo tempo, sem forças para seguir em frente e enfrentar todas as adversidades da vida. Têm dias que dá vontade de desistir, parece que o fim do túnel não tem uma luz se quer…

Mas tem. Tem sim. Tem luz no fim do túnel, tem arco-íris depois da tempestade, tem soluções para nossos problemas.

A grande dificuldade é acreditar que não tem mais jeito, que já sofremos tanto e que daqui para frente é isso mesmo, que carregar um peso muito além das nossas capacidades é nosso destino, é nossa obrigação. A mesmice é o que nos tira a possibilidade de enfrentar o que nos parece intransponível.

Ficar onde estamos é cômodo, mas não traz crescimento, nem evolução. Seremos sempre os mesmos, com nossos defeitos e qualidades, sem acrescentar e nem retirar. Pessoas mornas, pessoas mais ou menos, pessoas medíocres.

Não, ninguém merece isso, nem agora e nem lá na frente. O que passou, passou, se deixamos de ser no passado, teremos que aceitar, mas hoje, amanhã, depois, merecemos mais. Merecemos ser quentes, ser o que somos, nos aceitarmos em nossas limitações, mas usarmos nossa criatividade, nossa essência, o nosso dom para chegar ao nosso objetivo.

Nosso destino é a felicidade. Nada menos que isso. É preciso se encontrar para reconhecer que ser feliz é um estado de ânimo, não está fora do nosso corpo, mas dentro da nossa alma. Que a felicidade não tem preço, não vem das pessoas que relacionamos, não vem do nosso trabalho e nem do dinheiro que ganhamos, mas de quem somos, principalmente diante de grandes adversidades.

A felicidade não existe somente em dias de alegria, dias de sol, dias de praia, dias que passamos rodeados de pessoas. A felicidade existe quando estamos sozinhos e sentimos bem com isso. A felicidade existe quando estamos doentes mas temos a certeza que enfrentaremos isso com muita fé. A felicidade existe quando nos falta dinheiro, mas temos força de correr atrás e nos reinventarmos para ganhar o sustento de nossa família. Felicidade é quando abrimos nosso guarda-roupa e reconhecemos que temos mais que o suficiente para nós e podemos até doar. Felicidade é conquistar um sonho e saber que fomos capazes de trabalhar duro para alcançarmos apesar do cansaço. Felicidade é não ter muitos bens materiais porque sabemos que só estamos nessa vida de passagem e que na hora da viagem final, não poderemos levar nada fora de nós, apenas o que temos dentro… Dentro da alma.

Por isso pode chover, porque faça chuva ou faça sol, dentro de cada um de nós existe o grande segredo, o que todos procuram, o que todos almejam e sonham: a felicidade. Pare de buscar fora o que está dentro. Se conheça. Encontre-a.

Deixe seu comentário. É muito importante para mim.