Como vencer a ansiedade que engorda

dieta-ansiedade-bolo-maca-16961

 

A ansiedade é uma das emoções mais perturbadoras que as pessoas podem sentir. É, algumas vezes, chamada de medo ou nervosismo. É também um sentimento comum, muitas pessoas que conheço já relataram sofrer com a ansiedade.

Acontecimentos, positivos e negativos, importantes da vida (ambiente) podem contribuir para o surgimento da ansiedade, principalmente quando os indivíduos enfrentam experiências difíceis e aversivas no cotidiano. Esses acontecimentos propiciam alterações físicas, comportamentais e cognitivas (pensamentos), que o indivíduo experimenta quando está ansioso. Essas alterações são chamadas de respostas de ansiedade, que o impulsiona a lutar (enfrentar), fugir ou congelar (paralisar), diante dos estímulos ou situações de ansiedade.

A ansiedade pode engordar. Quando o indivíduo fica ansioso, o organismo libera maiores quantidades dos hormônios de adrenalina e cortisol – estes são importantes quando estamos lidando com algum perigo, no entanto, nosso organismo não sabe diferenciar um perigo real do stress, assim quando também estamos estressados liberamos grande quantidade desses hormônios que irão gerar aumento do apetite e vontade de comer doces. Levando, consequentemente, ao aumento do acúmulo de gordura na barriga e diminuição do volume dos músculos, fazendo com que o indivíduo pareça estar ainda mais gordo.

Outra informação interessante é sobre o hormônio adiponectina, responsável pela queima de gordura. O nutricionista Júlio Caleiro orienta que a “adiponectina inicia uma cascata de reações metabólicas que, rapidamente, transforma gordura corporal armazenada em energia. Infelizmente, a maioria das pessoas apresenta deficiência de adiponectina e não queima a gordura corporal armazenada de modo eficaz. Para resolver o objetivo de perda de peso, um passo importante é aumentar os níveis sanguíneos desse importante hormônio”.

Por isso é muito importante comer a cada 3 horas. Ficar muito tempo sem comer e não se alimentar num período correto, ajuda a engordar. Pequenos lanches nos intervalos mantêm a quantidade de açúcar no sangue de forma equilibrada.

Quanto mais seu corpo armazena gordura, menos desse hormônio natural (adiponectina), que queima gordura, ele produz. Adicionado ao stress do dia-a-dia moderno em que todos nós vivemos e o excesso de cortisol que seu corpo produz por causa disso, é possível perceber como a perda de peso é tão difícil.

Outra situação que pode levar o indivíduo a engordar quando fica ansioso é o aumento do consumo de alimentos calóricos, ricos em açúcar ou em gordura. Ao ficar ansioso, o cérebro do indivíduo faz com que haja um certo aumento do apetite para esse tipo de alimento, como uma forma rápida de sentir prazer, o que funciona a curto prazo, mas depois é comum que o indivíduo sinta-se culpado.

Os nutricionistas falam muito que não devemos cortar tudo numa dieta, mas balancear principalmente os carboidratos com proteínas e gorduras. Segundo a nutricionista Alice Dalpicolli Rodrigues, existem diferenças nos carboidratos, como os que devem ser evitados ou pelo menos retirados da base alimentar, comendo em moderação como trigo, aveia, milho, e os que são considerados mais saudáveis como batata doce, aipim e inhame. A batata inglesa é considerada um carboidrato bom, embora o amido seja absorvido mais rápido pelo organismo. As frutas e verduras também contém carboidratos, porém numa quantidade menor, são mais ricas em fibras e são bem saudáveis.

Dicas simples como evitar pão de trigo integral, margarina, suco de caixinha, soja processada e milho transgênico (flocos de milho, cereal de milho etc) podem ajudar o organismo a funcionar melhor e, com isso, reduzir o peso.

Existem alguns sinais de aumento de peso relacionado ao stress e ansiedade como maior concentração de gordura na barriga, coxas e braços, depressão, fome compulsiva à noite e aumento do peso após algum trauma, como separação, morte de parente próximo ou desemprego, por exemplo.

Os remédios para ansiedade podem engordar, uma vez que o efeito colateral pode ser o aumento da ansiedade, fazendo com que o indivíduo prefira alimentos que engordam como doces e fast food. Contudo, este efeito colateral não é observado em todos. E, em alguns indivíduos, não há aumento de peso.

Controlar a ansiedade não é nada fácil, há vários riscos, por isso mudar as atitudes em relação ao problema é o que de fato ajuda. Tentar informar-se sobre o que está causando a ansiedade; respeitar suas limitações e, quando for preciso, pedir ajuda; respirar fundo e calmamente; manter pensamentos positivos e evitar situações que remetam a pensamentos negativos ou autodestrutivos.

É imprescindível valorizar o presente. Se a ansiedade é causada pelo passado, nada poderá ser feito para mudá-lo e, se for relacionada ao futuro, poderá te impedir de viver o presente. Procure identificar o que está causando ansiedade e mantenha-se longe dele.

Dedique-se a alguma atividade no tempo presente e mantenha sua mente focada neste objetivo, evite distrações e, principalmente, as situações que podem causar ansiedade.

A prática regular de atividade física de baixo impacto como caminhar, andar de bicicleta ou nadar são ótimas armas para lidar com a ansiedade. Por isso, recomenda-se que a pessoa ansiosa faça exercícios todos os dias e, durante os exercícios, tenha pensamento relacionados à própria atividade física ou outros pensamentos positivos.

Ocupar a mente com algo que seja prazeroso é útil também. É uma ótima forma de controlar a ansiedade. Se, mesmo ao seguir todas essas orientações, a pessoa continuar manifestando sintomas de ansiedade, tais como: dor de barriga, dor de cabeça, enjoo, tontura, medo e ficar pensando sempre na mesma situação, de forma prejudicial, recomenda-se a procura de ajuda profissional.

Deixe seu comentário. É muito importante para mim.